Os planos da nova gestão para o Clube do Comércio

“A gestão gostaria de ser lembrada por proporcionar e entregar um Clube melhor, mais moderno e mais profissional” – vice-presidente Marcelo Albuquerque

 

No dia 11 de junho a nova diretoria do Clube do Comércio tomou posse para o biênio que segue. Durante um breve período de mudanças, conversamos com o vice-presidente Marcelo Gonzaga de Medeiros e Albuquerque para conhecer um pouco do seu perfil e para que ele apresente ao associado alguns dos projetos que estão em pauta.

Marcelo Albuquerque frequenta o Clube do Comércio desde pequeno por influência do pai. Após atingir a maioridade, ganhou de um tio a transferência de um título, tornando-se associado. “Foi nos anos 90 que retomei a rotina de frequentar o Clube novamente. Aprendi a jogar tênis na antiga quadra 6, com o professor Rodolfo Maldonado”, afirma. “Sou uma pessoa organizada e acredito ter como principais características ser justo e correto nas minhas relações. Gosto de praticar esportes, trabalhar bastante, cuidar da família e dos amigos”.

Empresário e atuante no ramo de seguros para a indústria imobiliária, Marcelo acredita que essa experiência profissional vai lhe ajudar na gestão do Clube. “É preciso tratar o momento do Clube com seriedade e cuidados. Administrar com a razão demandará alguns desconfortos e descontentamentos, mas com uma boa experiência empresarial, planejamento e organização não há o que temer, levando em consideração que as ações da gestão serão todas visando um Clube melhor”.

Os planos da nova gestão

Quando a configuração das pessoas que compõem a diretoria se concretizou no ano passado, iniciou-se um plano de gestão. O presidente Josué Vieira de Amorim e os diretores passaram a pontuar algumas demandas que seriam fundamentais para iniciar um trabalho de reestruturação, pois foram as ações visando mudanças que permitiram que a gestão construísse uma unidade de pensamento.

Para Marcelo, a ideia de continuidade na gestão que começa é um ponto importante para os planos de reestruturação do Clube do Comércio. “Uma posição era consenso, entraríamos para mudar, pois não acreditávamos mais que o modelo tradicional de administração e gestão estaria adequado para a realidade. Dividimos nossos 24 meses de gestão em três etapas. Seriam tomadas ações a curto, médio e longo prazo, com o objetivo de construir um prosseguimento do projeto com uma chapa de situação para a próxima gestão”.

Uma das ações a curto prazo envolveu a mudança da estrutura administrativa e diretiva, saindo da Sede Social e migrando para a Sede Esportiva. Essa mudança permitiu a conquista de um superávit operacional, trazendo equilíbrio orçamentário e condições técnico/financeiras para que a gestão pudesse trabalhar melhor com resultado credor. “A partir disso, adquirimos novamente a capacidade de manutenção e melhoria dos serviços básicos”.

Sobre os planos futuros, Marcelo afirma que a gestão atual tem todos os passos muito claros na mesa. “Buscaremos uma nova rentabilidade no espaço onde a Sede Social funcionava. Estamos estudando novas parcerias, novos serviços, novos nichos de sócios, novos modelos de atendimento aos associados. Utilizaremos este período de médio prazo para realizar melhorias, benfeitorias, modernizações, buscaremos uma nova aproximação com clubes onde no passado fomos mais unidos”.

Outras mudanças envolvem:

  • Fortalecer processos internos;
  • Investir em treinamentos;
  • Qualificar a equipe para melhor atender novos e antigos associados;
  • Investir na estrutura e nos serviços da Sede Esportiva

Sobre como gostaria que a atual diretoria fosse lembrada no futuro, Marcelo é muito claro e objetivo. “Uma gestão com pessoas que tiveram coragem de mudar. A gestão gostaria de ser lembrada também por proporcionar e entregar um Clube melhor, mais moderno, mais profissional, auto-suficiente e rentável operacional e financeiramente. E principalmente por colocar o Clube do Comércio em primeiro plano”, conclui.

Deixe um comentário