Memórias de Carlos Matzenbacher sobre o Clube do Comércio

São mais de 60 anos conservando amizades e prestando serviços importantes ao Clube do Comércio

 

O Clube do Comércio é feito de memórias. Ao longo dos seus quase 123 anos de existência, os associados são os grandes protagonistas das tantas histórias que permeiam os corredores dessa tradicionalíssima instituição porto-alegrense. Fato que muito nos orgulha é ver o carinho passado de pai para filho, trazendo para o nosso convívio diário diferentes gerações.

Carlos Frederico Matzenbacher é um grande exemplo disso. Começou a frequentar o Clube do Comércio nos idos dos anos 50, quando assistia ao pai jogar tênis na Sede Esportiva. A partir de 1959, com 14 anos de idade, ele passou a integrar o grupo de meninos que jogavam futebol de salão, nadavam e jogavam tênis. De lá para cá, já são 60 anos de presença constante nas atividades do Clube do Comércio.

“No Clube do Comércio formei sólidas amizades com as quais convivo até hoje. O Clube foi o elemento agregador destas amizades”, afirma. Atualmente, Matz, como é conhecido, não pratica mais tênis. Mas isso de maneira alguma o impede de frequentar o Clube diariamente. “Por morar em frente, basta atravessar a rua. Escolhi morar em frente ao Clube nos últimos 20 anos justamente para fazer dele o quintal da minha casa”.

Além de usufruir das dependência do Clube do Comércio, Matz também prestou muitos serviços a diversas diretorias ao longo desses 60 anos como associado. “Nos anos 60 me envolvi com o bloco de carnaval e me tornei ‘ditador’ do bloco por alguns anos. Em 1966, com 21 anos, fui assessor do Diretor Social Ismar Rosa Nasi, e fui responsável pelo departamento jovem do Clube”.

Seguido a isso, acumulou diversos cargos. Foi diretor social por mais de uma vez, secretário, diretor cultural, vice-presidente também por duas vezes, conselheiro, vice-presidente do Conselho Deliberativo e secretário do mesmo Conselho. “Nos últimos 25 anos sempre exerci alguma atividade na diretoria do Clube. No momento sou apenas conselheiro, mas sempre disposto a colaborar com o que estiver ao meu alcance”.

Carlos Frederico Matzenbacher

O Clube do Comércio ao longo do anos

Matz vê muito claramente as mudanças que os clubes sociais em geral sofreram ao passar dos anos, principalmente em relação ao comportamento da sociedade. Ele acredita que hoje o grande papel do Clube do Comércio é agregar os associados para atividades esportivas e de lazer. “A convivência dentro do Clube tem sido uma forma salutar de encontrar os amigos. Mas anos 50 e 60, o Clube fazia os melhores bailes de debutantes e carnaval de Porto Alegre. Os shows com grandes cantores nacionais e internacionais foram uma constante, com a presença de Roberto Carlos, Johnny Mathis, grandes orquestras e inúmeros artistas de prestígio”.

Os dias atuais do Clube do Comércio

“Dentro do contexto atual, o CC cumpre o seu papel e mantém suas atividades. Com o fechamento da sede social no coração de Porto Alegre, agora precisa investir na sede do Menino Deus. Hoje o Clube enfrentar uma necessidade de renovação com gente jovem assumindo o controle. Acho que demorou muito para que sangue novo ocupasse a direção. Não devemos nos desfazer da Sede Central, mas definirmos seu futuro de forma racional e fazer da Sede Esportiva um local aprazível para receber seu quadro social”, finaliza.

2 Comments

  • admin
    caio marcio cunha

    Fala meu querido Matz Careca! Faz uma vida, tu nem imaginas quem eu seja!

    Me ajuda? tu tens algum documento sobre o carnaval de 1969 (p. ex, fotos).

    Agradeço por antecipação! Grande abraço 🙂

    • admin
      site01.com.br joao

      Olá, Caio Cunha, o Clube agradece o seu comentário. Mas infelizmente não temos essas imagens do carnaval de 69.
      Abraço!

  • Write a Comment

    Deixe uma resposta para caio marcio cunha Cancelar resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *